diálogos com jesus e raymundo lopes

Eu sou Deus, Eu sou o entendimento

Jesus a Raymundo, 11 de fevereiro de 1996 - Capela Magnificat – Vila del Rey

Eu sou Deus, Eu sou o entendimento

Raymundo!
– O que, Senhor? Estou Te ouvindo.
– Você está cansado de correr atrás do entendimento?
– Não entendi, Senhor!
– Entendeu sim! Está desanimado de correr atrás do entendimento no Grupo Missionário?
– Estou, Senhor. Quanto mais faço para que Te entendam e entendam Tua Mãe, mais me parece que tudo é infrutífero.
– Você já experimentou me pedir para que isso não aconteça?
– Mas é o que mais faço, Senhor!
– Não faz, não. Tenho sentido você muito distante, e minha Mãe também!
– Meu Deus, então quem não está entendendo mais nada sou eu. Vivo pela Obra, por Ti e por Tua Mãe.
– Aí reside o problema. Você está colocando a Obra em primeiro plano e esquece que Eu sou a Obra, e também sou o pesamento de minha Mãe. Lembra-se de quando lhe disse, aqui nesta Capela, que estou cansado de correr atrás dos homens?
– Lembro-me, Senhor.
– Eu sou Deus, em meu cansaço reside minha vontade. Você, lite-ralmente, está sendo cansado pelo mal, ao correr atrás dos homens. Eu sou o entendimento. Converse comigo que os homens conversarão com você. Não espere que Eu o procure. Ache-me em seu coração. Tire horas para um diálogo comigo, que Eu o instruirei. Ninguém, nem mesmo minha Mãe, poderá lhe mostrar a luz como Eu lhe mostrarei, se me der atenção.
– Mas o SIM precisa de mim, Senhor!
– Você o transformará numa negativa, se não me ouvir. Pelo menos uma hora por dia comigo é necessária, e Eu farei seu SIM ser o SIM de minha Mãe. Por que você acha que consenti que meu Corpo Eucarístico permanecesse na Capela?
– Não sei, Senhor.
– Se não percebe a finalidade da minha presença, é porque está lhe faltando interioridade. Interiorize-se, para que o Espírito Santo lhe forneça o caminho para dirigir o Grupo Missionário.
– Posso escrever esta nossa conversa, Senhor?
– Nunca lhe pedi o contrário.
– Mas eu acho que vou esquecer.
– Então reze comigo um pouco mais, e não esquecerá.
– Como o Senhor quer que eu reze, Senhor?
– Ame-me. Olhe para o Sacrário onde estou e ame-me. É o suficiente, agora. Depois conversaremos mais. 

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana