oracoes-da-obra-missionaria

Bento XVI vive um tempo de oração, diz porta-voz do Vaticano

Nesta terça-feira, 11, o mundo recorda a renúncia ao ministério petrino de Bento XVI, hoje em dia Papa Emérito. Há um ano, o gesto surpreendeu não só a Igreja, mas todo o mundo.

Bento XVI vive um tempo de oração

Recordando a data, o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, foi entrevistado pela Rádio Vaticano. Ele conta que quem já acompanhava Bento XVI mais de perto entendia que havia uma reflexão sobre a renúncia. Tratava-se de um tema sobre o qual ele rezava, refletia, avaliava e fazia um discernimento espiritual.

“A clareza com a qual Bento XVI se preparou para este gesto e, diria, a fé com a qual se preparou, deu-lhe a serenidade e a força necessária para cumpri-lo, seguindo com coragem e com serenidade, com uma visão verdadeiramente de fé e de espera pelo Senhor que acompanha continuamente a sua Igreja”, declara padre Lombardi.

Na época da renúncia, uma das maiores dúvidas era sobre como seria a convivência entre dois “Papas”, algo inédito na história. Padre Lombardi revela que, quanto a isso, parecia claro para ele que não haveria nenhum temor, pois o papado é um serviço, e não um poder, logo, não gera dificuldade de convivência com o sucessor. “Há uma solidariedade espiritual profunda entre os Servos de Deus que buscam o bem do povo de Deus no serviço do Senhor”.

Quando renunciou, Bento XVI disse que continuaria servindo a Igreja, com a oração. O porta-voz do Vaticano afirma que o Papa emérito sempre foi um homem de oração e provavelmente desejava ter um tempo em que viver esta dimensão da oração com mais espaço, totalidade e profundidade. “E este é agora o seu tempo”.

Sobre o modo como vive hoje o Papa emérito, padre Lombardi diz que é uma vida discreta, sem dimensão pública, o que não significa uma vida isolada. Ele desenvolve atividades normais de uma pessoa idosa religiosa: uma vida de oração, de reflexão, de leitura, de diálogo, de encontro com pessoas que lhe são próximas. Entre esses relacionamentos, está aquele com o seu sucessor, o Papa Francisco, que já lhe visitou várias vezes.

“Parece-me que seja muito belo para nós quando temos aquelas raras imagens dos dois Papas juntos e que rezam juntos – o Papa atual e o Papa emérito: é um sinal muito belo e encorajador da continuidade do mistério petrino no serviço à Igreja”.

Fonte do site Canção Nova

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana