oracoes-da-obra-missionaria

O perdão de Deus não tem limites, lembra Papa

Na Missa de hoje, Santo Padre falou da prática do perdão,
lembrando aos fiéis que o perdão de Deus não tem limites

É preciso pedir perdão e saber perdoar o próximo, explica o Papa / Foto: L'Osservatore Romano

É preciso pedir perdão e saber perdoar o próximo, explica o Papa / Foto: L’Osservatore Romano

O tempo da Quaresma prepara o coração para o perdão de Deus e para perdoar como Ele, isso é, esquecendo as culpas dos outros. Esse foi, em síntese, o ensinamento do Papa Francisco na Missa desta terça-feira, 1º, na Casa Santa Marta.

Francisco se pautou na liturgia do dia. O Evangelho apresenta a célebre pergunta de Pedro a Jesus: quantas vezes devo perdoar um irmão que pecou contra mim? A leitura, tirada do livro do profeta Daniel, está centralizada na oração do jovem Azaria que, condenado à morte em um forno por se recusar a adorar um ídolo de ouro, ele invoca as chamas da misericórdia de Deus para o povo pedindo, ao mesmo tempo, perdão para si. Segundo o Papa, esse é o modo certo de rezar.

“Quando Deus perdoa, o seu perdão é assim tão grande que é como se ‘esquecesse’. Tudo contrário daquilo que fazemos nós, das fofocas. E temos tantas histórias das pessoas, antigas, modernas, e não esquecemos né. Por que? Porque não temos o coração misericordioso.

No trecho do Evangelho, para explicar a Pedro que é preciso perdoar sempre, Jesus conta a parábola dos dois devedores: o primeiro recebe a anistia de seu senhor, mesmo devendo uma quantia enorme, e ele mesmo é incapaz, pouco depois, de ser tão misericordioso com outro que lhe deve uma quantia pequena.

“No Pai Nosso, rezamos: ‘perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido’. É uma equação, andam juntos. Se você não é capaz de perdoar, como Deus poderá te perdoar? Ele quer te perdoar, mas não poderá se você tem o coração fechado e a misericórdia não pode entrar. ‘Mas padre, eu perdoo, mas não posso esquecer aquela coisa ruim que me fez…’. Peça ao Senhor que te ajude a esquecer: isso é outra coisa. Pode-se perdoar, mas esquecer nem sempre se consegue. Perdoar como Deus perdoa: ao máximo”.

Francisco enfatizou que o perdão do coração que Deus dá é misericórdia. Ele reza para que esse tempo de Quaresma prepare o coração para receber o perdão de Deus e poder fazer o mesmo com os outros: perdoar de coração.

“Perdoando, abrimos o nosso coração para que a misericórdia de Deus entre e nos perdoe. Porque todos precisamos disso, de pedir perdão: todos. Perdoemos e seremos perdoados. Tenhamos misericórdia com os outros e nós sentiremos aquela misericórdia de Deus que, quando perdoa, ‘esquece’”.

 

Fonte do site canção nova

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana