Obra Missionária

XIII Encontro Missionário

Venter Tuus

XI-Encontro-da-Obra-Missionaria-Misterio-da-cruz

Inscrição para XIII Encontro Missionário

Clique aqui e baixe o convite para o encontro

Clique aqui e baixe o formulário de inscrição

Não é fácil encontrar um nome que possa convir a tanta grandeza e servir para denominar de maneira adequada a Trindade a não ser que se diga que é um só Deus, de quem, por quem e para quem existem todas as coisas. Assim, o Pai, o Filho e o Espírito são, cada um deles, Deus. E os três são um só Deus.
Para si próprio, cada um deles é substância completa e, os três juntos, uma só substância. O Pai não é o Filho, nem o Espírito. O Filho não é o Pai, nem o Espírito. E o Espírito não é o Pai nem o Filho. O Pai é só Pai, o Filho unicamente Filho e o Espírito unicamente Espírito. Os três possuem a mesma eternidade, a mesma imutabilidade, a mesma majestade, o mesmo poder. No Pai está a unidade, no Filho a igualdade e no Espírito a harmonia entre a unidade e a igualdade. Esses três atributos todos são um só por causa do Pai, todos são iguais por causa do Filho e todos são conexos por causa do Espírito.
Em nenhum lugar Agostinho tentou demonstrar biblicamente que o Pai é redondo, o Filho é quadrado e o Espírito é uma estrela. Trata-se de um dado da revelação que, para ele, as Escrituras proclamam quase a cada página, e que a fé católica fides catholica transmite aos fiéis. Em seu entendimento, Deus é incompreensível, mas não incognoscível, havendo duas vias de conhecimento de Deus: a via da eliminação, ou negação apofática, que consiste em suprimir de Deus todos os defeitos das criaturas; e a eminência catafática, que consiste em atribuir a Deus, elevando-as ao infinito, todas as perfeições. Todo aquele que refletir sobre Deus deste modo, embora não chegue a conhecer plenamente o que ele é, contudo, enquanto pode como homem piedoso, evitará pensar dele o que ele não é. Como delineia Daniel, seu imenso esforço teológico é uma tentativa de compreensão, sendo este o exemplo supremo de seu princípio de que a fé deve preceder a compreensão – praecedit fides, sequitur intellectus. A fé busca, o entendimento encontra;
por isso diz o profeta: Se não credes, não entendereis. Doutro lado, o entendimento prossegue buscando aquele que a fé encontrou, pois, Deus olha do Céu para os filhos dos homens, como é cantado no salmo sagrado, para ver se alguém que tenha inteligência e busque a Deus. Logo, é para isto que o homem deve ser inteligente: para buscar a Deus. Portanto, Agostinho, pressupondo a veracidade do testemunho bíblico sobre o ensino acerca do Deus trino e baseando-se nas decisões conciliares estabelecidas em Niceia e Constantinopla, construiu o primeiro tratado verdadeiramente sistemático da doutrina da Trindade.
São contínuas as orações cheias de amor e confiança que Agostinho dirige a Deus, ele dá e entende no correr de sua tarefa de investigar o mistério da Trindade. E são um testemunho da dependência e ardente súplica, tão características da oração agostiniana. Constata-se assim estar toda obra teológica de Agostinho elaborada em clima de oração. Nele estão unidas a sapientia – a sabedoria refere-se à contemplação –, e a scientia – a ciência diz respeito à ação, o esforço na busca de sabedoria espiritual.

Buscam refletir e reaplicar a doutrina Trinitária, produzindo um grande número de estudos
dogmáticos, bíblicos e históricos. O alvo é expor a compreensão da doutrina trinitariana,
como formulada por Agostinho, que produziu uma obra sobre este tema.



Foi Agostinho quem deu à tradição ocidental a sua expressão madura e final acerca da
Trindade. Não obstante ser Agostinho mais conhecido através de obras como Confissões,
autobiografia publicada em 400, ou A Cidade de Deus, publicada em 426, provavelmente
sua obra-prima é o tratado conhecido por A Trindade, que ele demorou dezesseis anos para
redigir – entre 400 e 416. Esta obra está dividida em duas partes, bem distintas. A primeira,
com uma ênfase bíblica, vai do livro I ao VII, é a seção teológica propriamente dita. A segunda
parte, do livro VIII ao XV, apresenta um caráter especulativo, psicológico e filosófico,
no gênero analógico.

Agostinho pressupôs como uma verdade bíblica que existe um só Deus que é Trindade, e
que o Pai, o Filho e o Espírito são simultaneamente distintos e coessenciais, numericamente
um quanto à substância.
O Pai, o Filho e o Espírito, isto é, a própria Trindade, é a única Coisa a ser fruída – una
quaedam summa res – bem comum de todos. Se é que pode ser chamada coisa

Local do evento:
Casa de Retiros São José
Avenida Itaú, nº 475, bairro Dom Bosco
CEP: 30730-280 – Belo Horizonte / MG
A Casa de Retiros São José destina-se em primeiro lugar à formação de um caminho espiritual: retiros, formação continuada, reuniões pastorais, encontro de religiosos. Uma Casa Redentorista para a evangelização e os evangelizadores, a serviço de uma Igreja missionária.
A Casa de Retiros São José conta com toda a estrutura e assessoria para a realização de eventos, inclusive, qualidade no atendimento e segurança em suas dependências. Suas acomodações hospedam até 194 convidados; seu auditório é estruturado para 400 pessoas, sua capela e sala de reunião para 100 pessoas. Além disso, a Casa oferece em seu restaurante saborosa culinária típica mineira, preparada com ingredientes de sua própria horta orgânica.
Uma Casa mineira, no coração de nossa Capital.
Conheça a estrutura do local acessando:
http://www.casaderetirossaojose.com.br/


Clique aqui e baixe o convite para o encontro

Clique aqui e baixe o formulário de inscrição
2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana