Obra Missionária

A história do Terço hoje rezado na Basílica de Nossa Senhora de Lourdes, em Belo Horizonte, às 17 horas das terças-feiras, contada por Raymundo Lopes

A história do Terço hoje rezado na Basílica de Nossa Senhora de Lourdes, em Belo Horizonte, às 17 horas das terças-feiras, contada por Raymundo Lopes

“Na verdade a reza do Terço teve início na igreja São Sebastião, da Av. Augusto de Lima, Barro Preto, bairro central de Belo Horizonte.
Padre Américo, seu então pároco, não permitiu que o Terço fosse rezado lá e o Padre Narciso, da Basílica de Nossa Senhora de Lourdes, disponibilizou minha entrada em sua igreja para rezá-lo.
Padre João Megale era o pároco e nada falou a respeito; e assim, em 14 de abril de 1992, 1ª terça-feira (Terça-Feira Santa) após o último dos nove primeiros encontros que Nossa Senhora me pedira (11 de fevereiro a 07 de abril de 1992), iniciei sua reza chamando-o de 'Degredados Filhos de Eva'.
Enfrentei muitos problemas, portas fechadas, agressões, luzes apagadas etc.
Até que o Terço foi oficialmente proibido a partir de 11 de abril de 1995 (Terça-Feira Santa), ou seja, 3 anos após seu início. Mas não paramos, algumas pessoas, sem a minha presença, continuaram rezando-o, por exatos 6 meses, até o dia 10 de outubro do mesmo ano, e na terça-feira seguinte, 17, voltei a dirigi-lo, fato que comuniquei por escrito ao Arcebispo, no mesmo dia. (Veja as cartas da época a este respeito nas páginas 6 )
Eu estava esgotado, e certo dia Nossa Senhora falou-me: 'Não abandonem a Basílica; se persistirem, farei daquele local uma segunda Lourdes'.
Assim, passaram-se os anos, novo Pároco, até que se completaram 22 anos. Hoje somos aceitos pelo Pároco, portas se abrem, luzes se acendem etc. E estamos obedecendo o que Maria Santíssima nos pediu – 'Não abandonem a Basílica'”.
O que mais nos impressiona é a disponibilidade de Raymundo em enfrentar dificuldades, porque quando o assunto é o que Maria lhe pede, não existem fronteiras: ele, com suas palavras, vence as dificuldades e caminhando vai.
A continuidade do que aconteceu neste interim, fala por si só, são inúmeros relatos, pessoas curadas de algum mal, excentricidades de algumas pessoas…Mas a serenidade de Raymundo parece com a história de Jesus e a tempestade na barca: são poucas palavras, que têm o poder de acalmar tempestades.
Raymundo volta a falar sobre o Terço e a denominação que lhe dá:
Maria diz: 'Somos filhos de Eva e somos todos degredados'. Portanto, Degredados filhos de Eva é o seu nome.
Por algumas vezes, deixei-me levar por opiniões buscando alguma imagem de Nossa Senhora que falasse por nós, mas nada dava certo. Numa ocasião Nossa Senhora me disse:
'Pare de buscar aquilo que já possui, adote a designação de Lourdes e tudo dará certo.'
Comecei a procurar uma imagem, quando me encontrei com o Pároco da Basílica e escutei Nossa Senhora falar-me ao ouvido: 'Peça a ele para tirar uma cópia da imagem do museu!'
Pedi e ele aceitou. Deu tudo certo e a imagem de Lourdes, que nas terças-feiras entra após o terceiro mistério do Terço, participa também do louvor todo dia 11 de cada mês, na Basílica, dia dedicado a Nossa Senhora de Lourdes e ali festejado.
Penso entrar com a imagem logo no início do Terço, porque desejo que todos percebam seu semblante.
O tempo foi passando e atualmente temos este pequeno folheto, no qual manifestamos nossa opinião sobre religião e onde escrevo para as pessoas o que penso de Jesus, Maria etc.
Quis homenagear Nossa Senhora disponibilizando sua imagem para visitas às pessoas; para isso criamos o sorteio no final do Terço, entre os presentes, deixando a cargo de Maria Santíssima a escolha do contemplado da semana.
Não é Terço dos homens, das mulheres ou de crianças, é nosso, porque nas terças-feiras às 17 horas, colocando nosso amor no coração de Jesus e Maria, proclamamos – somos nós, degredados filhos de Eva.
Evidentemente que este Terço não acontece pelo querer de uma só pessoa, são dezenas ajudando Nossa Senhora a realizá-lo – uma família doou a Kombi que nas terças-feiras leva à Basílica a imagem de Nossa Senhora de Lourdes, o andor, os instrumentos de som¹, outros a dirigem, uma família doa as flores, outros organizam as pessoas, alguns montam o som e pessoas cantam, inclusive na Missa que o sucede.
1. Órgão, mesa de som, computador, microfones, capturador de som, 6 grandes caixas acústicas que são distribuídas no interior da igreja oferecendo uma boa audição aos presentes, e gravação de vídeo visando sua divulgação para o país e o exterior através do site da Obra Missionária).
Todo mundo faz alguma coisa, e o resultado é essa maravilha que aos poucos a Capital vem conhecendo.
Desejam um milagre?
Existe um maior do que esse?
Vejam o milagre operado por Jesus em nome da Bela e Serena Senhora, um estupendo milagre que acontece toda terça-feira, às 17 horas, numa das principais igrejas de Belo Horizonte.

Coordenadora
A Mãe de Yeshua, que numa surpreendente manifestação realiza, através de Belo Horizonte, na Basílica de Lourdes, aquele pedido de Jesus na Praça do Papa:
'Façam vocês mesmos os milagres.'
Ela atende, reza conosco, nos ensina, nos mostra Jesus, é paciente quanto aos nossos pedidos, é solícita, nos pede para rezar pelos padres, freiras e catequistas.
Lembra de nossos falecidos e pede que também tenhamos tempo de pedirmos por nós.
Por fim, nos ensina a participar da Missa que providencialmente acontece depois do Terço.
Ave Maria, dizemos, Santa Maria, afirmamos; e Maria ouve e compreende nossos propósitos e os leva à consideração de Deus.
Ao som de Ó Santíssima, evidenciado por Ela, sua imagem toma conta da nave majestosa que seu santo nome nomeia.
Como não presenteá-la com Pai-Nossos? Ela nos atende quando rezamos a Salve-Rainha.”

Tudo começa com a interferência de Irene (Bá), porque é ela que disponibiliza o auxiliar da Capela Magnificat, casa onde reside Raymundo. É ela que mantém todo o material para ser montado na Basílica.

Luciano é o anjo que dirige a Kombi. Calmo, fala mansa, ótimo motorista, sempre com a pergunta a Raymundo: “E o Evangelho, o que diz Jesus hoje?” Dirige também o setor de bancos, pagamentos…,e ajuda na montagem do som para o Terço.

Marco Aurélio sempre nos ajuda como motorista, mas sua função principal é levar a imagem de Nossa Senhora às casas das pessoas sorteadas, fazer o comentário sobre as visitas e ajuda na confecção do nosso folheto que é distribuído na Basílica. Ajuda também na montagem do som. É 'pau pra toda obra'. Juntamente com Luciano, grava em vídeo o comentário que Raymundo faz do Evangelho, na Basílica, para sua divulgação através do site e posteriormente em livro (O Código Jesus).

Rodrigo, pessoa séria, com sua inteligência faz acontecer nosso folheto, dá opiniões com sua voz alta e clara e tornou-se uma pessoa indispensável nos trabalhos diários. Ajuda, quando necessário, a montar o som na Basílica.

Maria Antônia, é a presidente do SIM, e é ela que distribui o folheto na Basílica, leva o saquinho dos números para o sorteio da pessoa que receberá a visita da imagem etc.

Gerson, é responsável pela iluminação e montagem do andor, preside a escolha das pessoas para a procissão das flores e é também 'pau pra toda obra'.

Daniel, pessoa íntegra, monta o andor, ascende as velinhas e está sempre de mutuca para auxiliar quem precisa.

Geny, é a esposa de Raymundo;
sempre discreta, organiza a entrada da imagem junto com a Bá.

João, discretíssimo, alegre, sempre tem uma história para contar a Raymundo. Ajuda na montagem e desmontagem da aparelhagem de som.

Virginia e Raimunda, ornamentam o andor da Imagem de Nossa Senhora com as flores, fornecidas pela Flora Evelyn. Virginia recebe as pessoas que levam as flores ao Santíssimo.

Lili e sua irmã Maria Amélia, as duas acompanham o cortejo da imagem pela nave central, cuidam das flores e fazem o buquê que é doado às ministras eucarísticas da Basílica. Quando necessário, substituem a Virginia.

Jessé
Ele, sempre alegre, vende seus doces e água do lado de fora da Basílica e não deixa faltar água a Raymundo.

Meire Deyse
É ela que toma conta no primeiro banco, fornece água, saquinho de sorteio etc.

Maria Auxiliadora e Giselda Maria
São elas que fazem a leitura na Missa.

Elizabeth e Anaceli
São as artistas do órgão, tocam no Terço e na Missa. Anaceli, às vezes, faz a segunda voz no canto.

Marília, Vedra e Emília
São as cantoras que, sem ensaiar coisa alguma, soltam a voz na hora certa. Em rodízio, cantam o salmo na Missa.

Hélio, Sebastião e Jair
Os tocadores de cavaquinho, bandolim e violão que enfeitam a música com os sons incomparáveis de seus instrumentos.

Lúcia Helena
Está sempre à disposição para ajudar na montagem e desmontagem do andor de Nossa Senhora e demais tarefas de auxílio.

Maria da Natividade
Quando menos se espera, lá está ela ajudando a carregar a aparelhagem de som.

Gilmar Dias
Em minha ausência, é ele a pessoa responsável pela reza do Terço nesta Basílica de Lourdes.

E muitos outros, que no anonimato nos ajudam num elo de amor à Virgem Santíssima, na coleta durante a Missa, no recolhimento de nossos objetos, arranjo das cadeiras, fechamento da Basílica, ajuda no pagamento do estacionamento etc.
Fora do contexto imediato, não nos falta ajuda para revisar os textos e diagramar a produção do folheto, comprar as cestas básicas, conversar com as pessoas e muitas outras atribuições que não sabemos como retribuir.
Abaixamos a cabeça e agradecemos a oportunidade de sermos servos úteis.
Esse é o milagre que ajudamos a realizar!

SIM – Serviço de Informação Mariana

Obs: Segue o link do jornal com a matéria completa

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana