Obra Missionária

Os Dons do Espírito Santo - Entendimento

 

Os Dons do Espírito Santo - Entendimento

"A vida moral dos cristãos é sustentada pelos dons do Espírito Santo. Estes são disposições permanentes que tornam o homem dócil para seguir os impulsos do mesmo Espírito. Os sete dons do Espírito Santo são: Sabedoria, Inteligência (ou Entendimento), Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade e Temor de Deus. Em plenitude, pertencem a Cristo, filho de Davi. Completam e levam à perfeição as virtudes daqueles que os recebem. Tornam os fiéis dóceis na obediência às inspirações divinas.” (Catecismo da Igreja Católica – 1830 e 1831)

Hoje veremos sobre o dom do Entendimento (ou Inteligência)

O dom do Entendimento torna nossa inteligência capaz de entender intuitivamente as verdades reveladas e naturais, de acordo com o fim sobrenatural que possuem. A aparente correlação não significa que quem possui a sabedoria, já traga consigo o entendimento por consequência (ou vice-versa). Existe uma clara distinção entre um e o outro. Para exemplificar: há fiéis que entendem as contemplações do Terço, mas o rezam por obrigação ou mecanicamente (possuem o dom do entendimento). Há outros que, por sua simplicidade, nunca procuraram entender o seu significado, mas praticam sua reza com sabor, devoção e piedade, ignorando seu vasto sentido (possuem o dom da Sabedoria). Assim como há aqueles que, mesmo sem entender os preceitos da Igreja, permanecem fiéis aos seus ensinamentos; sentem o sabor pelas coisas de Deus, e mesmo ignorando o vasto significado da liturgia, dos dogmas, das orações, dão testemunho de intensa devoção e piedade. Estão repletos de sabedoria, mas falta-lhes o entendimento, que se resume na busca pela compreensão das coisas de Deus no seu sentido mais profundo. Estes exemplos, logicamente, se aplicam às ciências naturais e divinas, logo ao nosso dia-a-dia. Não sendo um consequência do outro, são distintamente preciosos e complementam-se mutuamente, nos fazem aproximar de Deus com todas as nossas forças, com toda a nossa devoção e inteligência e sensível percepção das coisas terrenas, que devem estar sempre direcionadas às coisas celestes. O dom do Entendimento nos leva, também, a conhecer aquilo que vai no coração e na mente das pessoas. O Padre Pio era um sacerdote que tinha o dom do Entendimento. Ele servia-se do seu dom para ajudar muitas almas. Quando algum penitente ia ter com o Padre Pio e, por esquecimento ou timidez, escondia este ou aquele pecado, o Padre Pio lembrava-lhe: “Falta-te este pecado que cometeste duas ou três vezes”. Isto fazia unicamente para o bem do penitente. Vejamos o que nos diz a Mãe de Jesus: “A Palavra de Jesus será, nestes tempos, mais do que nunca, a Luz que os conduzirá pelos caminhos ao encontro da inteligência maior, que é Deus. Eu os desejo inteligentes com minhas mensagens, pois são luzes do Céu contra os enganosos brilhos da terra. Percebam bem que expresso nelas uma condição: que sirvam apenas a um Senhor, pois é impossível dividir essa tarefa entre dois reinos. Como usar a inteligência? “Fazendo uso do intelecto, cairá a névoa que embaça os olhos de vocês ao mirarem o mal que os envolve e a seus filhos, podendo, desta forma, guiá-los à luz de Cristo. É necessário que conheçam o Evangelho, porque nele Jesus nos deixou a ideia mais inteligível e nítida que Deus quer que tenhamos d'Ele.” Rezemos: “Eu Te dou graças, Senhor do Céu e da terra, porque escondeste Tua grandeza aos orgulhosos, aos sábios e aos que se dizem entendidos do que desejas, e permitiste que os humildes e os que praticam verdadeiramente a Tua vontade tivessem acesso às Tuas maravilhas.” Fala-nos sobre o entendimento. “Deus quis que entendêssemos Sua existência por meio da criação. Vocês precisam refletir e entender o sentido da palavra 'aliança de amor', quando ela provém da vontade do Pai em lhes proporcionar a chance de participar de Sua glória. Deus, em Sua infinita bondade, condicionou esta aliança num ato de amor que ultrapassa o entendimento de vocês. Saber distinguir entre o bem e o mal e ter forças para conduzir suas vidas no sentido contrário à desordem moral é uma centelha do Espírito de Deus, manifestado pela graça de Sua misericórdia em ajudá-los. O que lhes falo tem que ser compreendido em sua essência. Tem que ser vivido, caso contrário nada tem sentido. Não descuidem do que lhes falo. Procurem entender as mensagens celestes e sigam-nas. É o único caminho para que Deus os ouça. A maior graça contida no carinho de Deus para com a humanidade provém do Espírito Santo. Somente através dele é possível entender as coisas do Céu e os constantes sinais de Deus para com os homens. Rogo então a Deus, Pai da Glória, que conceda a vocês o Espírito Santo da Sabedoria e da Revelação, para bem o conhecerem. A brutalidade, a violência e o desamor afastam este entendimento. A misericórdia Divina não aceita como os homens fazem uso destes artifícios demoníacos e ignoram o amor Divino. Rezem para que esta graça permaneça na face da terra.” Qual é a substância básica do entendimento das coisas divinas? “O amor ao próximo é a substância básica do entendimento das coisas divinas. Somente através da simplicidade, provinda de um coração entregue a Deus, é que o que falo é entendido em sua substância e pode produzir frutos. Libertem-se dos grilhões do orgulho, da luxúria, da mentira e de toda sorte de enganosas artimanhas diabólicas, para que possam entender meus sinais.” Como entender as coisas do Céu? “Rezem, conversem com o Céu, para obterem de Deus a misericórdia do entendimento. Abandonem-se nos braços de Deus, repudiando o pecado, para que possam entender, em sua essência, o que significa seguir Jesus sem restrições.”

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana