Na Casa do meu Pai há muitas moradas - Jo 8,21-30

Basílica de Lourdes, 15 de março de 2016


Naquele tempo, disse Jesus: “Eu parto e vós me procurareis, mas morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, vós não podeis ir”. Os judeus comentavam: “Por acaso, vai-se matar? Pois ele diz: 'Para onde eu vou, vós não podeis ir'? Jesus continuou: “Vós sois daqui de baixo, eu sou do alto. Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. Dissevos que morrereis nos vossos pecados, porque, se não acreditais que eu sou, morrereis nos vossos pecados”.
Perguntaram-lhe, pois: “Quem és tu, então?” Jesus respondeu: “O que vos digo, desde o começo. Tenho muitas coisas a dizer a vosso respeito e a julgar também. Mas aquele que me enviou é fidedigno, e o que ouvi da parte dele é o que falo para o mundo”. Eles não compreenderam que lhes estava falando do Pai. Por isso, Jesus continuou: “Quando tiverdes
elevado o Filho do homem, então sabereis que eu sou e que nada faço por mim mesmo, mas apenas falo aquilo que o Pai me ensinou. Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho, porque sempre faço o que é de seu agrado”. Enquanto Jesus assim falava, muitos acreditaram nele.”

EXPLICAÇÃO DO EVANGELHO

Esses capítulos de João nos apresentam, aparentemente, uma contradição. Na primeira parte, Jesus diz: "Eu vou e vós me procurareis e morrereis em vosso pecado. Para onde eu vou vós não podeis ir."
Na segunda, Ele diz: "Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se não fosse assim, eu vos teria dito, pois vou prepararvos um lugar, e quando eu me for e vos tiver preparado um lugar, virei novamente e vos levarei comigo, a fim de que, onde eu estiver, estejais vós também. E para onde vou, conheceis o caminho."
A diferença que existe está entre as palavras ir e estar.
No cap. 8, quando diz: "Para onde eu vou vós não podeis ir.", Ele fala de Sua divindade, para a qual não podemos ir, pois nela não penetramos, a ela não chegamos.
No cap. 14 diz assim: "…vos levarei comigo, a fim de que, onde eu estiver, estejais vós também."
"Toda a expectativa da Igreja apóia-se nesta promessa." Mas que outra leitura se extrai dela? Aqui Jesus fala de Sua própria humanidade, da qual nós podemos participar. Na bem-aventurança seremos plenamente humanos e perfeitos.
Jesus ainda diz: "Na casa de meu Pai há muitas moradas." Isto tem um sentido amplo, ou seja: a casa de Deus, toda a Sua criação, onde os anjos foram criados e atuam… Aí Ele estará na Sua dupla natureza, divina e humana; nesta, naturalmente, em estado glorioso, onde também poderemos estar. Podemos, ainda, assim entendê-la: "Na casa do Pai as moradas são infinitas, e Jesus as preparou para que sejam recebidos conforme suas obras."
Isto é o que Ele nos fala nestes trechos, nos quais não há, na verdade, contradição. No primeiro, Jesus fala de Seu lado divino e no segundo de Seu lado humano. No divino não podemos habitar, pois morreremos em nosso pecado. Este está reservado à Trindade Divina. Só Ela tem esta natureza. No humano, aí sim, podemos habitar, somos dessa natureza.
Nela formaremos com Jesus seu Corpo Místico.
João nos mostra, portanto, o lado divino e humano de Jesus e de que forma podemos estar n’Ele e com Ele.

(Explicação do Evangelho, por Raymundo Lopes, extraído do livro "Código Jesus", pág.182-183)

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana