O Pai Nosso - Mt 6,7-15

Basílica de Lourdes, 16 de fevereiro de 2016

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. Não sejais como eles, pois vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais. Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes".

EXPLICAÇÃO DO EVANGELHO

Jesus, ao nos ensinar a orar, nos ensina a oração do Pai Nosso. Nossa primeira percepção é de que Jesus está nos ensinando a orar. Mas, se nós formos ler com mais acuidade, mais atenção, se nós formos dar valor a toda aquela catequese do Cristo, veremos que Jesus está nos chamando a atenção para o livre arbítrio. Nos versículos anteriores, Jesus diz que “tudo que ligares na terra será ligado no Céu e tudo que desligares na terra será desligado no Céu”. Jesus nos chama a atenção, na oração do Pai Nosso, para a seguinte idéia: se se perdorar aquelas pessoas que te tem ofendido, Deus vai perdoar os teus pecados. Se não
perdorar aquelas pessoas que te tem ofendido, Deus não vai perdoar os teus pecados. Quer dizer, Jesus está nos chamando a atenção para o livre arbítrio, essa coisa terrível que pesa sobre a nossa cabeça, que nos dá toda uma permissão para ser contra Deus, para ser contra a vontade de Deus, para dizer “sim” na ora errada, para dizer “não” na ora errada. Somente Deus sabe os nossos propósitos, somente Deus sabe o que é bom para nós, e nós não confiamos na providência divina! Então, hoje, nesta oração do Pai Nosso, o que fica mais evidente, o que nos mostra, com tanta força, aquela característica da evangelização de Jesus, não é simplesmente rezar o Pai Nosso. Quando rezarem o Pai Nosso, se vocês não perdoarem as ofensas dos semelhantes, Deus não vai perdoar a ofensa de vocês. Agora, se vocês perdoarem, Deus vai perdoar as ofensas de vocês. É a mesma coisa que Jesus disse anteriormente, tudo que ligares na terra será ligado no Céu e tudo que desligares na terra será desligado no Céu.
Quanta gente está ligando coisa que não deve, quanta gente está desligando coisa que não deve. Você já pensou, desligar uma coisa que não deve, você está desligando no Céu! Você está responsável, porque o Pai Nosso nos chama a atenção para a responsabilidade diante de Deus. Por isso não adianta só chamar a Deus de Papai. Porque quando nós temos a responsabilidade de chamar Deus de Papai, de “Aba”, isso quer dizer que Deus quer a mesma intimidade conosco, ele quer participar do nosso dia-a-dia, ele quer nos instruir em nosso dia-adia, e a primeira prerrogativa de Deus é o perdão. Deus não condena ninguém. A
primeira coisa que Deus exige de nós, porque é uma lei de Deus, é uma lei universal, é uma lei de todo o universo, é a lei baseada no perdão, porque nós somos criaturas, nós surgimos da falta, nós vamos morrer na falta. Ninguém teria essa intimidade com Deus, de chamá-lo de Papai, se não fosse na bondade de Deus, nessa justiça de Deus nos mostrando esse caminho do perdão, para porder termos essa condição de chamá-lo de “Aba”, Papai. Na oração do Pai Nosso, Jesus está nos chamando a atenção sobre uma lei maior, que é o livre arbítrio. Se vocês não perdoarem os pecados das pessoas, Deus não vai perdoar os teus pecados. Você já pensou que coisa terrível isso! É bom refletir na seguinte indagação: quando estiver diante de Deus corre-se o risco de, achando que está “com o rei na barriga”, Deus condená-lo, porque você não perdoou os pecados das pessoas, portanto, você fez com que nos Céu, também, não fossem perdoados esses pecados. Logo, somos responsáveis pelos pecados das pessoas, somos responsáveis por aquilo que fizemos na terra. Porque Deus, quando nos deu o livre arbítrio, em contrapartida nos exigiu que essa responsabilidade em usar essa lei do perdão fosse rígida. E, muitas vezes, nós não sabemos usar essas prerrogativas da lei. E isso é muito sério, meu Deus! E isso nos leva à condições de servos inúteis. Por isso é necessário sempre lembrar que se deve querer ser um servo útil. Por que? Porque Deus não faz uma coisa para ser inútil. Mas você pode conseguir ser inútil quando você não perdoa, quando você passa a julgar as pessoas, um julgamento que não é próprio teu, de autoridade tua. Então, Jesus nos chama a atenção, tudo que vocês ligarem na terra será ligado no Céu. Pode-se “ligar”, julgar, um ladrão sem vergonha, um assassino, Deus vai responder sobre o teu julgamento, mas ele vai te cobrar lá em cima. E se se desliga na terra, vai desligar lá em cima. A nossa intimidade com Deus, a nossa aliança com Deus, gira em torno dessa afirmativa de que somos criaturas responsáveis diante de Deus, somos criaturas que Deus nos criou para respondê-Lo a respeito das coisas do nosso dia-a-dia, do nosso perpétuo caminhar de criaturas de Deus. Deus nos cobra, a todo o momento, parece que não, mas cobra. Deus não é essa misericórdia infinita de que tudo mundo fala, de “maria-vai-com-as-outras”, “seja o que Deus quiser”. Eu escuto muito isso: “Seja o que Deus quiser, mas eu estou fazendo a minha vontade!”. Então não é “Seja o que Deus quiser”. A misericórdia de Deus age juntamente com sua Lei. Eu costumo falar a vocês, quando está chovendo na cabeça de vocês abra um guarda chuva, não pede a Deus para parar de chover não, porque, às vezes, a chuva é necessária, essa quantidade de coisas que caem em nossas cabeças são necessárias. Abra o guarda-chuva porque esse guarda-chuva é toda aquela proteção para que você se identifique com a aliança de Deus, isso é muito importante. Perdoem as faltas das pessoas. É muito mais fácil perdoar. Você já pensou o ato de “não perdoar”, a pessoa carrega aquela carga toda de “não perdoar”, você já pensou a carga daquilo ali? É terrível!

Raymundo Lopes

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana