Pedir a Deus II - Lc 1,26-38 


Basílica de Lourdes, 08 de dezembro de 2015

No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, Nprometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi, e o nome da virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!” Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo,então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi.
Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”. Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso se eu não conheço homem algum?” o anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível”. Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

EXPLICAÇÃO DO EVANGELHO

Nossa Senhora não pediu a Deus para ser a mãe de Jesus, não pedia esta graça.
Por isso é que ao anúncio do anjo Gabriel Ela duvidou, dizendo: "Como se fará isso, se não conheço homem algum?". Zacarias também ouviu do anjo Gabriel: "Não tenhas medo, Zacarias, porque a tua súplica foi ouvida, e Izabel, tua mulher, vai te dar um filho, ao qual porás o nome de João. (…) Zacarias perguntou ao anjo: 'De que modo saberei disso? Pois sou velho e minha esposa é de idade avançada.'"
Ele pediu a graça e duvidou, ao ser atendido.
Nossa Senhora teve dúvida, como Zacarias. A Ela o anjo disse: "Não tenhas medo, Maria!
Encontraste graça junto de Deus." AZacarias o anjo dissera: "Eis que ficarás mudo e sem poder falar até o dia em que isso acontecer, visto que não creste em minhas palavras, que se cumprirão no tempo oportuno." Ambos duvidaram. Ela, porém, foi exaltada: "O Espírito Santo virá sobre ti, e o poder do Altíssimo vai te cobrir com a sua sombra…" e "Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!"
Enquanto Zacarias foi punido. O que, então, aconteceu? Ela glorificada e ele mudo, até o nascimento de seu filho?
Aconteceu que Zacarias pediu. Apessoa deve ser responsável por aquilo que pede, pois se torna o canal daquela graça. Com Maria foi diferente, não havia pleiteado a maternidade divina. Ela já não estava mais no Templo. Prometida em casamento a José, provavelmente estivesse cuidando de suas obrigações, ficando surpresa com a visita do Anjo. Por isso a Ela foi permitida a dúvida.
Zacarias havia entrado no Santuário do Senhor, onde Deus falava. Lá, provavelmente, tivera feito seu pedido. Neste caso, a responsabilidade perante Deus se configura no pedido que se dispõe diante dele. Zacarias pediu e Deus escutou sua prece. O Anjo, o mesmo que lhe falou, disse a Maria: "Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo". Aqui foi de Deus para Maria, enquanto lá foi de Zacarias para Deus. Por isso é preciso saber pedir. E, se atendido, deve-se acreditar, para que não ocorra como a Zacarias até a consumação da graça. Aí está a responsabilidade diante de Deus, quando se pede a Ele algo. Nossa Senhora é cheia de graça pela pura vontade de Deus. Era uma predestinada. E Zacarias recebeu a graça que pediu, apesar de ter duvidado.

(Explicação do Evangelho, por Raymundo Lopes, extraído do livro Código Jesus, páginas 45)

 

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana