Cronicas de Raymundo Lopes
Jerusalém

Raymundo Lopes - 08 de novembro de 2016

Jerusalém

O maior obstáculo para uma solução duradoura nos problemas mais graves do Oriente Médio, pode bem ser o futuro de uma das mais sagradas cidades do mundo.

Sagrada para os árabes, cristãos e judeus, Jerusalém, a Cidade da Paz, raramente conheceu nos últimos anos o que é a paz.
Com mais de quarenta séculos, tornou-se nos nossos dias uma refém na guerra entre árabes e israelenses.

Na guerra de 1967 Israel conquistou-a, depois anexou o setor oriental de Jerusalém, que é esmagadoramente árabe, e esse fato deu origem ao litígio que vem se prolongando.

Os judeus reverenciam Jerusalém como a Cidade de Davi.
Os mulçumanos chamam Jerusalém de Al Kuds.
A cidade é adorada pelos cristãos porque grande
parte do apostolado de Yeshua ali decorreu.

Embora estejam sendo regidos pelas leis israelenses, os setores de Jerusalém Ocidental são modernos.
Dentro da cidade murada fica a Igreja do Santo Sepulcro, construída no século XII.
A cidade murada é um labirinto de ruas tortuosas, algumas com poucos metros de largura. Os israelenses argumentam que têm todo o direito a Jerusalém; no entanto, o Muro das Lamentações ficava irremediavelmente fora do alcance deles. Durante anos os árabes de Jerusalém têm mantido tenazmente uma política de resistência passiva para com os judeus.

Resumindo: as oportunidades de resolver a crise são tênues, mas se atentarmos para as consequências que podem advir, se o problema não for solucionado, poderemos dizer que há que encontrar urgentemente uma saída custe o que custar.

Raymundo Lopes

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana