Cronicas de Raymundo Lopes
Novamente apareces no presépio, sozinho.

09 de Janeiro de 2018

Novamente apareces no presépio, sozinho.

E eu não te visitei. Vezes sem conta bateste à minha porta inutilmente e eu não abri.

Chamaste-me por muitos modos, esperaste tanto por mim.
E eu não quis ouvir tua voz, não fui ao teu encontro.

Há tanto tempo me esperas, Senhor!

Foi por acaso que parei aqui, à tua frente.
Senhor, eu não sei por que tenho andado longe de ti.
A matéria me arrasta. A sede de lucros me absorve.
As comodidades e prazeres terrenos fizeram-me cravar os olhos na terra, onde tu não estavas.

Senhor, eu quero: renova-me!

Cria dentro de mim um coração rejuvenescido,
Uma vontade forte, uma mente esclarecida e reta.
Para que eu possa trilhar a senda da verdade, da justiça e do amor.
Que eu não me torne novamente surdo à tua voz, nem me esquive à tua atração.

Não mais te deixe sozinho.

Raymundo Lopes



2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana