Cronicas de Raymundo Lopes
Cristianismo

13 de Junho de 2017

inferno

Os três organismos: missionários, governo e ganhadores de dinheiro formam a mesma regra de olhar para nós com ar zombeteiro. Às vezes espanta-nos ver que esses três organismos, combinados, provêm da Europa e que junto com eles vem o título de cristandade.
E gotejar ou comparar Deus com os servos impede qualquer pessoa de acreditar em Yeshua.
A explosiva extensão do cristianismo na América Latina tem sido mal registrada pelo imaginário, ao longo do século XX.
Essa globalização da fé cristã e suas consequências não têm sido bem avaliadas.
As projeções estatísticas apontam um aumento muçulmano da população mundial até 2050, mas a composição geográfica e cultural do mundo cristão será radicalmente alterada.
Mostro que o cristianismo aumenta na América e tem espaço para acrescentar com mais novas conversões, mas mantém estável no resto do mundo.
Dentro das igrejas o número de cristãos autênticos é minoritário; mas nas próximas décadas o Brasil abrigará três quartos de cristãos.
Assim, o centro de decisões é do catolicismo e se deslocará atualmente.
Cardeais eleitores do próximo papa serão originários de países do hemisfério sul, em breve eles formarão a maioria do cardinalato. O mesmo fenômeno ocorre no seio das Igrejas protestantes, em que se acentua a predominância do clero e dos fiéis dos países do hemisfério sul.
Ressalto que as Igrejas que mais cresceram nesta parte do mundo são moralmente mais conservadoras e de cunho evangélico.
Combinam misticismo, puritanismo, crença em profecias, curas, exorcismo e conceitos abandonados por Igrejas liberais em troca de preocupações sociais e políticas.
Alerto que o cristianismo, longe do declínio, progride em formatos mais exatos e analisa as consequências deste fenômeno.
Se tivéssemos poder para nos comunicar, recomendaria que eles não se declamassem de cristandade, mas europeidade.

Raymundo Lopes


2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana