Cronicas de Raymundo Lopes
Perdão

Raymundo Lopes - 28 de Março de 2017

Deixem-me ajudá-los

Ser cristão já não é assim tão fácil, tão tranquilo sobretudo quando penetramos no campo do perdão.
Quando o Evangelho trata do conceito do perdão sentimos que o assunto é de arrepiar os cabelos, porque apesar de ser tão bom ser cristão, geralmente colocamos um limite em tudo o que fazemos: em nosso amor, em nossa paciência, em nossa tolerância, em nossa misericórdia.
O nosso perdão tem limites, somos limitados!
Ao ler Mateus já consideramos um exagero de São Pedro perguntar se teria de perdoar até sete vezes seguidas a uma mesma pessoa.
Mas, e a resposta de Yeshua? Sua reação foi desconcertante: Eu não lhe digo sete vezes, mas setenta vezes sete.
Isto implica em muito mais do que Pedro previa, ou seja, perdoar sempre.
O Espírito surge para modificar todas as normas e diretrizes.
Amar o próximo como Yeshua amou: sem limites.
Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos seus amigos.
Neste contexto lembremos também a parábola do Filho Pródigo, perdoando integralmente porque disse ao pai: Pequei.
Vocês devem amar como Yeshua, porque Ele não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida.

Raymundo Lopes

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana